Seleccione o hotel
Dia de Check-In
 
Noites
Adultos
Crianças
Bebés
Código Promocional
Reserve Já
Cancelar
Skip Navigation LinksHomepage > Grupo > Lisboa > A Visitar > Monumentos

Monumentos

Mosteiro dos Jerónimos  

Mosteiro dos Jerónimos

Este mosteiro do século XVI é a maravilha que não se pode perder numa visita a Lisboa. É uma viagem até à época dos Descobrimentos, cujas especiarias do Oriente pagaram para a sua grandiosa arquitectura. Foi essa arquitectura e significado histórico que levou ao reconhecimento do monumento como Património Mundial. Tesouros de todos os cantos do mundo desembarcaram em Lisboa depois de Vasco da Gama ter aberto o caminho marítimo para a Índia, e o túmulo do descobridor foi colocado à entrada da igreja. Motivos marítimos encontram-se esculpidos por todo o interior, único no mundo, desde corais a cordas que também podem ser vistas no magnífico claustro. Este claustro é muitas vezes usado como palco de eventos especiais, tal como a assinatura do Tratado de Lisboa em 2007, juntando os líderes dos membros da União Europeia.

Torre de Belém

O monumento mais famoso de Lisboa ergue-se do Tejo, de onde protegia e cidade quando foi construído no século XVI. É uma bela fortaleza que também serviu de ponto de partida para muitas das viagens da época dos Descobrimentos, e o seu significado histórico juntamente com a singularidade da sua arquitectura levaram à sua distinção como Património Mundial. O mais impressionante é a fachada virada para o rio e as vistas das suas varandas e janelas. A pedra é esculpida com motivos relacionados com os Descobrimentos, e inclui uma imagem da Nossa Senhora do Bom Sucesso que se acreditava proteger os navegantes, assim como um rinoceronte que inspirou a famosa gravura de Dürer.
  Torre de Belém

Castelo de São Jorge  

Castelo de São Jorge

Há mais de um milénio que este é o monumento mais deslumbrante de Lisboa. Situado na colina mais alta da cidade, o Castelo de São Jorge oferece vistas de cortar a respiração. Foi construído no século VI e ocupado pelos romanos e visigodos antes de se tornar um palácio mouro. O primeiro rei de Portugal passou a tomar conta dele em 1147 e mais tarde o castelo recebeu o nome do santo padroeiro da Inglaterra depois da aliança luso-britânica. Numa das suas salas (onde Vasco da Gama foi recebido após o seu regresso da Índia) encontra-se uma pequena coleção de achados arqueológicos dos arredores do castelo, enquanto que numa das torres vêem-se imagens da cidade captadas por um periscópio. A maior atracção, no entanto, é caminhar pelas muralhas e desfrutar das vistas na companhia dos pavões que percorrem o recinto.

Panteão Nacional

O Panteão Nacional demorou três séculos a ser construído. É um monumento barroco com uma planta octogonal centrada numa cruz grega e com uma cúpula visível de vários pontos da cidade. No seu interior é onde são colocados os túmulos das figuras mais importantes da cultura portuguesa, sendo o nome mais famoso o de Amália Rodrigues. Existem também alguns túmulos simbólicos de outros nomes históricos como Vasco da Gama, apesar do verdadeiro encontrar-se no Mosteiro dos Jerónimos. É possível subir-se até ao terraço da cúpula para apreciar uma bela vista sobre a cidade.
  Panteão Nacional

Mosteiro de São Vicente de Fora  

Mosteiro de São Vicente de Fora

As torres deste mosteiro sobressaem na paisagem lisboeta, mas curiosamente não é dos monumentos mais visitados. No entanto oferece uma das mais fantásticas vistas da cidade do seu terraço assim como um extraordinário interior em grande parte decorado com azulejos (possui o maior conjunto de azulejos barrocos do mundo - cerca de 100 mil). É por isso um dos espaços mais fascinantes de Lisboa, especialmente quando se vêem as fábulas de La Fontaine contadas numa série de 38 painéis. Há também um claustro e o panteão dos Braganças, a última dinastia real portuguesa. Um dos túmulos é o de Catarina de Bragança, a princesa portuguesa que se tornou rainha de Inglaterra após o seu casamento com Carlos II em 1662. O bairro de Queens em Nova Iorque foi a ela dedicado.

Sé Catedral de Lisboa

A Sé de Lisboa tem um interior austero e é diferente das outras catedrais europeias por lembrar um castelo quando vista de fora. Foi construída por cima de uma antiga mesquita no século XII, misturando o romanesco e o gótico, enquanto à entrada pode ver-se a pia onde Santo António foi baptizado. Nas traseiras está o claustro do século XIV que revela vestígios das épocas romana, visigótica e moura em escavações arqueológicas. No piso superior encontra-se o tesouro que inclui a valiosa custódia de Dom José do século XVIII coberta de preciosidades.
  Sé Catedral de Lisboa

Basílica da Estrela  

Basílica da Estrela

Vista de fora, esta é a igreja mais bonita e monumental de Lisboa. É uma basílica neoclássica com uma grande cúpula construída em 1790 em agradecimento pelo nascimento do filho de Dona Maria I. O interior é coberto de mármore e inclui túmulo da rainha, assim como um enorme presépio com mais de 500 imagens. É possível subir até ao terraço junto da cúpula para vistas sobre a cidade. A basílica é uma das paragens principais dos eléctricos 25 e 28, e tem um jardim encantador do outro lado da rua, o Jardim da Estrela.

Cristo Rei

A versão lisboeta do famoso monumento do Rio de Janeiro foi construída na margem sul do Tejo em agradecimento a Deus por Lisboa ter escapado ilesa à Segunda Guerra Mundial. O monumento foi inaugurado em 1959 e mostra uma imagem de Cristo com 28 metros em cima de um enorme pedestal. Um elevador leva os visitantes até ao terraço aos pés da estátua, oferecendo uma vista panorâmica sobre toda a cidade e a Ponte 25 de Abril em baixo. Para lá chegar é preciso atravessar o Tejo de barco (num "cacilheiro") desde a estação do Cais do Sodré até Cacilhas, onde depois se apanha o autocarro 101 até ao monumento.
  Cristo Rei


Olissippo Hotels

Proprietário: Sociedade Hoteleira Seoane, SA · Morada: Av. da República, Nº 15, 2º Andar · Telefone: +351 213182790 · Fax: +351 213182799

© 2018 Copyright OLISSIPPO HOTELS. Todos os direito reservados. Powered by e-GDS®